Home | Valor | Anuncie conosco | Suporte | Contato
 
 
 
Notícia - Novos radares não multam motos em São Paulo

Novos radares não multam motos em São Paulo



Novos radares não multam motos em São Paulo

Novos radares não multam motos em São Paulo Parte dos 175 novos radares fixos de São Paulo será incapaz de fiscalizar a velocidade das motocicletas. Por determinação da Secretaria Municipal dos Transporte (SMT), alguns equipamentos têm sido posicionados no sentido oposto ao da via, a fim de fotografar os veículos de frente.

Mais sobre a polêmica dos radares vencidos SP está sem radares móveis para controle de velocidade desde agosto São Paulo terá 40 novos radares, revela secretário Juiz suspende instalação de 175 radares fixos na cidade de São Paulo Para secretário, multas aplicadas por radares em SP têm validade Por enquanto, as motos não são obrigadas a ter placa dianteira, embora tramite em Brasília um projeto de lei para incluir essa exigência no Código de Trânsito Brasileiro (CTB). A atual legislação dispensa a instalação de placas dianteiras em veículos de duas ou três rodas.


A decisão de alterar a posição dos radares foi tomada por técnicos da SMT com o objetivo de endurecer a fiscalização de caminhões. Existiam dois inconvenientes em fotografá-los por trás: a dificuldade em registrar a placa de acordo com os padrões exigidos por causa das diferentes posições delas nas carrocerias e o fato de boa parte das autuações acabar nas mãos de transportadoras (donas das carrocerias) e não do proprietário do caminhão (dono da cabine).

Na avaliação de técnicos, isso reduzia a eficácia das medidas restritivas impostas pela Prefeitura aos veículos de transporte de carga nos últimos meses.

A Prefeitura diz não ter definido quais radares serão instalados no sentido oposto ao da via e quais seguirão o antigo padrão. Em tese, a mudança só se justifica para os equipamentos com Leitores Automáticos de Placas (LAPs).

O sistema permite que, além de medir a velocidade, sejam flagrados motoristas que desrespeitem o rodízio ou caminhões que trafeguem na Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões (ZMRC) em horários proibidos. Dos 123 aparelhos previstos para serem instalados neste ano, 77 terão esse dispositivo.

Lombadas A Prefeitura contratou duas novas empresas para operar a fiscalização do trânsito por meio de lombadas eletrônicas. Atualmente, a cidade conta com 100 equipamentos desse tipo, todos operados pela empresa Perkons, de Curitiba.

Esse contrato venceria em 11 de outubro, sábado próximo, e foi prorrogado por até 60 dias para que a capital não ficasse sem o serviço. O novo edital prevê a contratação de 153 lombadas eletrônicas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Enviado por em 22/11/2008